Vamos falar sobre Rainbow: Nisha Rokubou no Shichinin!

Olá, pessoinhas das trevas! Como estão? Espero que bem. Essa semana finalmente eu terminei de ler "Um Estudo em Vermelho" - apenas o primeiro livro da série do detetive sedução, Sherlock Holmes -, e terminei alguns animes (vulgo Re:Zero) que deveria ter terminado há 8 décadas e 4 anos. Ah, nunca comentei aqui, mas - às vezes - eu costumo ter uns sonhos bem... Estranhos? Ontem eu tive um desses e queria comentar sobre ele aqui, hueheu. Não pretendo entrar em grandes detalhes, mas falando resumidamente... No sonho, meus amigos e eu fomos para um evento geek - desses que a gente quer gastar horrores, mas lembra que é pobre - em uma cidade próxima à que moramos. Quando terminou o evento, não tínhamos transporte para voltar para casa, logo, resolvemos ir a pé (ônibus pra que?). Com isso, optávamos sempre por avenidas movimentadas - por serem menos perigosas -, mas chegou um momento que não teve jeito e tivemos que atravessar uma avenida desértica. Nisso, acabamos nos deparando com um grupo de jovens meio suspeitos, então resolvemos fazer um desvio no caminho. Só que esses jovens nos perceberam e começaram a nos seguir e, quando olhamos para trás, estavam armados. Começamos a fugir desses jovens como naquelas séries policiais, só que com os mocinhos sendo perseguidos; e entramos em uma mata, onde chegamos a um local que aparentava ser uma chácara. Tinha um senhor muito simpático trabalhando em algo que não lembro o que, e pedimos para nos esconder atrás da mesa de materiais dele (ótima ideia, ninguém vai nos achar). Então pegamos o celular para ligar para o Leon e a Nilce (???) virem nos buscar (para quem não conhece, é um casal de youtubers dos canais Coisa de Nerd e Cadê a Chave?, que acompanho), até que um carro para próximo ao local onde aquele senhor estava trabalhando. Gelamos, pois acreditávamos ser o grupo de jovens malignos que estavam em uma busca frenética pela gente. Quando a Nilce sai do carro, o alívio foi imediato. Nilce então diz que era para nós termos ligado para que eles fossem nos buscar. Aí eu disse para a Nilce que não deu, porque tinha um grupo de jovens armados atrás da gente. Depois disso, acordei. E feliz, por ser amiga do casal sedução, Leon e Nilce, mesmo que só no meu sonho. Sério, meus sonhos são sempre bem interessantes. O último que tive foi com uns personagens de séries - e o próprio sonho parecia um episódio de série -, no qual EU era a protagonista. O sonho foi meio que uma mistura de The Fall, Narcos e Cidade de Deus, huashuahu.

Sem mais delongas, vamos ao post de hoje, que é sobre o anime Rainbow: Nisha Rokubou no Shichinin.
Rainbow: Nisha Rokubou no Shichinin é uma adaptação do mangá homônimo do autor George Abe, publicado entre Novembro de 2002 e Janeiro de 2010. Produzido pelo estúdio Madhouse, foi ao ar entre Abril e Setembro de 2010, com 26 episódios no total.  O anime é um seinen classificado nos gêneros drama, histórico e suspense. 

A história ocorre no ano de 1955, 10 anos após a II Guerra Mundial. Um grupo de seis jovens são levados para a Escola Disciplinar Especial Shonan por terem cometido certos delitos. Nesse reformatório eles conhecem Rokurouta Sakuragi, um veterano no local, à quem os seis jovens desenvolvem - ao longo dos episódios - uma enorme ligação. Juntos (os novatos e Sakuragi), eles prometem se reencontrar quando saírem da escola disciplinar. No entanto, mal sabem eles os abusos e humilhações que sofrerão enquanto estiverem nesse local, também conhecido como Caldeirão do Inferno.
Os nomes dentro dos parenteses são a forma como são chamados e/ou apelidos dos personagens.
Rainbow é um anime que mostra os piores aspectos da natureza humana. Toda violência explícita e cenas pesadas tornam-se necessárias para retratar a realidade crua e agoniante do anime. Há personagens que enojam, e não falo dos jovens que são levados ao reformatório, pois estes se tornam as verdadeiras vítimas das situações. Quando analisamos o contexto de cada crime desses 6 indivíduos, percebemos que em boa parte houve uma motivação, essa que - embora previsíveis - baseiam-se na intenção de proteger alguém. Outros, apesar dos crimes cometidos, não apresentam má índole.

Como já me referi, assim que os 6 adolescentes chegam ao reformatório, eles conhecem o Sakuragi, e é com ele que os seis dividirão a cela. Inicialmente, Sakuragi não parece muito amigável e com isso os 6 jovens até tentam confrontá-lo - sem grande sucesso, pois o Sakuragi é um ex-boxeador. Quando são nocauteados pelo veterano - e após o discurso de Sakuragi aos novatos em seguida -, os sete vão começar a desenvolver - durante os episódios - um grande laço de amizade, a ponto de serem capazes de fazer tudo para proteger um ao outro. Sakuragi é, dentre os sete, o único que conhece os horrores do Caldeirão do Inferno, mas não demora muito até os outros conhecerem a forma como o guarda, Ishihara, e o Dr. Sasaki tratam os internos. Ishihara, por exemplo, é um personagem bem sádico e, por qualquer motivo, violenta os jovens do reformatório. Trata-os como lixos da sociedade e sente prazer ao agredi-los. Sakuraki é o que mais desperta o ódio de Ishihara, isso porque ele é o único que não expressa medo do guarda. Enquanto apanha, Sakuragi não demonstra expressão de dor, aguenta tudo calado e mantem um olhar firme.
Algo que é mencionado no anime são os efeitos causados pela guerra. Passam-se 10 anos desde que o Japão perdeu a II Guerra Mundial, mas o país ainda é assolado pela miséria e fome. Além disso, as consequências da guerra não afetam apenas àqueles que lutaram nela, e sim também aqueles ficaram para trás, como crianças, idosos, etc. Um exemplo do que a guerra causou para quem não estava envolvido nela é observado no personagem Noburo Maeda (Tartaruga), que sofreu com a perda de toda a sua família para uma bomba atômica.

Apesar de todo o sofrimento vivido pelos personagens principais, eles nunca perderam a força de vontade. Por mais que todos ao seu redor os tratem como lixo, eles sempre buscam manter-se firme, procuram crescer como pessoa, e desistir dos sonhos é inviável. Algo que achei interessante no anime é a forma como a amizade deles é retratada, porque eles são capazes de abrir mão do próprio orgulho, se humilham, permitem que façam o que quiser com eles se isso for ajudar um amigo. No entanto, quando atingem e/ou machucam um companheiro, as coisas tomam outra forma.

O character design de Rainbow não é dos melhores, mas é agradável. Em certos momentos, o drama é demasiado, e na segunda parte do anime queriam relatar muito da história em poucos episódios. No entanto, fora isso, a história é muito boa. A opening é excelente e a ending também não deixa nada a desejar.

Opening: "We're Not Alone" - Coldrain


Ending: "A Far-Off Distance" - Galneryus


Apesar de alguns fatos previsíveis, Rainbow: Nisha Rokubou no Shichinin - mesmo com todo o ambiente pesado - emociona. Cada personagem é único, com histórias e personalidades interessantes. É um anime que vale a pena assistir.

Nota: 8/10

Até a próxima!
キス

3 comentários:

  1. OIA EU COMENTANDO PRIMEIRO UHU \O/

    AAA esse livro "Um Estudo em Vermelho" do Sherlock é ótimo!! Eu li ele pra poder fazer a prova na escola e e muito maravilhoso. O FINAL FOI SUPER SURPREENDENTE, eu fiquei: "COMO ASSIM NÃO PODE SEEEER, QUE?", é muito bom!! Queria muito poder ler os outros livros TUT
    AAAAAAAA RE:ZERO É BOM DEMAIS TAMBÉM NÉ?! Subaru só se ferra legal em todos os episódios, mas esse anime é lindo.
    MEU DEUS VOCÊ ENCONTROU A NILCE E O LEON NO SONHO HUEHUEHEU, MELHOR SONHO. Foi bem louco, mas pelo menos foi aquela iludida do bem -q

    "Rainbow é um anime que mostra os piores aspectos da natureza humana". SÓ POR ESSA PEQUENA FRASE EU JÁ TO ADICIONANDO NA LISTA. Adoro esse tipo de coisa em animes, acho digno de mais. Pelo jeito é um desses animes que fazem a gente pensar e que de certa forma passam uma verdade através da animação.
    NOSSA EU GOSTEI DA OPENING, achei bem lesgal -q, só nela da pra ver que o anime tem uma pegada meio sad vibes, só que tem umas coisas um pouco coloridas também *amei isso, deus yato ajuda eu*
    Pelo jeito esses garotos (que alguns não tem caras de garotos, mas ok), são bem rebelde ein? oloco, já fizeram cada coisa... O mais leve é o Noburo que só roubou, mas os outros são bem maloqueiros mesmo (to bem curiosa a respeito).

    Achei diferente a ideia do anime e lá vou eu colocá-lo na lista~
    GODIBAI \O/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. SMOAK ESQUECI DE TE FALAR
      *musiquinha de suspense*

      JÁ TO FAZENDO O SEU LAYOUT DE PRESENTE HOHOHO, eu to gostando de como ele tá ficando :v, então quando ficar pronto eu te envio por e-mail ou sei lá a gente dá um jeito, mas juro que to dando o meu melhor! adeus~

      Excluir
    2. Olá, Alone! \o/

      Sim, gostei muito dele. Na minha edição de Sherlock o primeiro volume vem ele e mais dois (sendo um deleS uma coletânea de contos). Por enquanto só li "Um Estudo Em Vermelho", vou deixar para ler "O Sinal dos Quatro" e "As Aventuras de Sherlock Holmes" mais para frente.
      SIM, ENCONTREI MEU OTP DA VIDA REAL NO SONHO. Awn

      Subaru só se ferra, huashuashu. Gostei de Re:Zero, e espero que tenha uma segunda temporada futuramente, pois quero saber mais dessa relação do Subaru com a Bruxa.

      Também gosto de animes que mostram esse lado, principalmente quando trabalham bem em cima disso, sem deixar aquela coisa forçada. Apesar de alguns poréns de Rainbow, é um anime que gostei - principalmente por causa da personalidade dos personagens principais. E a op é uma das coisas que eu mais gosto. E sim, o anime é um pouco bad vibe.
      Sobre os garotos, eles aparentam serem rebeldes e tal, ainda mais quando nós sabemos o motivo que os levaram à escola disciplinar. Mas quando os conhecemos melhor, vemos que são jovens normais, que tiveram uma vida difícil, que cometeram erros, mas que mesmo assim não desistiram de seguir em frente.

      AAAAAAAHHH, ansiosa para ver como está ficando *--* Arigato, Alone-chan. ♥

      Beijos!

      Excluir