Vamos falar sobre 20th Century Boys!

Olá, povo de Freljord! Como vocês estão? Espero que bem. Essa semana eu percebi o quão sedentária eu estou. Lá estava eu usando a internet, quando me deparo com o jogo Just Dance para console, e vendo alguns vídeos no tio Youtube, deu vontade de dançar/jogar. A minha ideia principal é: "Preciso de algo que me faça exercitar, e que ao mesmo tempo seja divertido". Enfim, como sou uma pessoa desfavorecida financeiramente - vulgo pobre - e não tenho quase R$200 reais para comprar o jogo - tão pouco tenho um Xbox, Playstation, etc - eu resolvi baixar alguns vídeos do Youtube de algumas coreografias para ficar dançando na sala de casa, até porque - como eu disse - a minha ideia é arranjar algo que me faça mexer o esqueleto e me torne menos sedentária. Comecei a dançar a primeira música que baixei e na metade dos 3 minutos eu já estava MORRENDO. Sim, estava mega ofegante, as pernas já estavam bambas e mal conseguia levantar os braços. A coreografia da música era até fácil, o problema é que era rápida demais. Depois baixei outras músicas e até que consegui dançá-las - às vezes parecendo uma lesma dançando, mas tudo bem -. Das músicas da P!nk que eu encontrei, queria conseguir dançar So What, mas está sendo impossível. Agora Funhouse eu ainda consigo pegar os passos. Depois disso eu descobri que dá para jogar pelo smartphone, que só precisa baixar o aplicativo Just Dance Now e acessar o site pelo computador para jogar (o celular serve como controle). Eu baixei, mas só uma música dá para dançar de graça, outras precisa ser usuário vip para desbloquear. Depois vou conferir o preço, dependendo até me torno vip. O bom do Just Dance é que você joga com usuários do mundo todo. 

Sem mais delongas, hoje eu trouxe o mangá 20th Century Boys para falar aqui no blog. Vamos lá?
20th Century Boys é um aclamado mangá seinen do autor Naoki Urasawa. É uma das mais notáveis obras de Naoki, seguida por Monster. 20thCB ganhou o Prêmio Kodansha de Mangá em 2001, Prêmio Excellence no Japan Media Arts Festival, em 2002, e também o Prêmio Shogakukan de Mangá em 2003. A obra foi publicada entre Setembro de 1999 à Abril de 2006 pela Big Comic Spirits, e trazido ao Brasil pela editora Panini. O mangá conta com 249 capítulos divididos em 22 volumes.

Tudo começa no ano de 1969, quando os garotos Kenji, Otcho, Maruo e Yoshitsune constroem juntos uma base secreta, tudo - é claro - sendo parte de uma brincadeira de criança. Lá eles passavam boa parte de seu tempo, traziam mangás para ler e até mesmo revistas adultas. Otcho, um dos garotos, chega até a criar um símbolo para o grupo, algo que algum tempo depois se tornaria a bandeira daquela "base".
Tudo o que os garotos queriam era se tornarem heróis e, ali - naquela base secreta - imaginação era o que não lhes faltava. Juntos eles escreveram um livro de profecias, no qual contava com detalhes de que forma a humanidade encontraria seu fim, e como eles fariam para salvar o mundo.

28 anos se passam, agora é 1997, e Kenji é apenas um homem normal, que leva uma vida comum. Ele é gerente de uma loja de conveniência e vive com sua mãe e sua sobrinha, Kanna - cuja mãe a deixara com ele e a avó, e desapareceu em seguida sem entrar mais em contato com a família.
A vida simples de Kenji começa a mudar quando um suicídio misterioso de um amigo de infância é notícia na mídia. Kenji, que o conhecera bem, suspeita de tal morte, pois acredita que o companheiro jamais seria capaz de cometer tal ato. Investigando o ocorrido, ele acaba se deparando com uma seita liderada por um homem que é conhecido apenas como "Amigo", cujo rosto é escondido por uma máscara. O símbolo dessa seita? É aquele cujo qual Kenji e seus amigos criaram anos atrás.
Não pretendo falar muito sobre os personagens, até porque é um grupo até extenso, pois os amigos de infância de Kenji não se resume apenas em Otcho, Maruo e Yoshitsune (além disso, assim é melhor para evitar possíveis spoilers sobre o que andaram fazendo esses amigos ao longo dos 28 anos que passaram-se), e fora que tem os demais personagens secundários que não são ligados diretamente ao passado do protagonista. Ainda assim, escolhi dois personagens para falar brevemente.

Kenji Endo: Como já referido, é um homem simples, que torna-se gerente da loja de conveniência da família - que outrora era uma loja de licor. No entanto, quando mais jovem, seu sonho era ser um astro do rock, chegou até a montar uma banda, mas não obtivera muito sucesso. Kenji começou a se interessar por rock depois de ouvir a música "Jumpin' Jack Flash" da banda The Rolling Stones.


Yukiji Setoguchi: É a única mulher do grupo de amigos de Kenji, e sempre foi uma pessoa forte. Quando crianças, Kenji e seus amigos eram maltratados pelos gêmeos Yanbo e Mabo, e era Yukiji quem sempre aparecia para defender os garotos.
A história de 20th Century Boys não ocorre durante poucos anos, logo, nós iremos ver personagens envelhecerem. Além disso, a história também é contada em flashbacks de 1969, pois há muita coisa ainda que ocorre após os garotos criarem a base secreta, envolvendo inúmeros mistérios. Em 1997, logo que Kenji se depara com o culto de uma seita cujo simbolo é o mesmo que ele e seus amigos criaram quando crianças, é claro que Kenji não lembra de muita coisa. Ele apenas vê o simbolo como algo familiar/suspeito, e aos poucos algumas lembranças vão surgindo conforme os capítulos seguem - até porque é bem difícil lembrar facilmente de acontecimentos de 28 anos atrás. No entanto, é a partir desse ponto que Kenji reunirá seus amigos de infância com o objetivo de buscar a verdade por trás de tudo e resolver todo o enigma que envolve o "Amigo".
Depois de minha experiência com Monster (apenas o anime, que já falei aqui), percebi o quão Naoki pode ser imprevisível. Ao ler cada capítulo de 20thCB, o interesse pelo próximo só aumenta. O autor consegue levar a trama muito bem, e nada é mostrado no mangá por acaso. Por exemplo, se um fato é mostrado no início da obra, em algum ponto da história eventos se conectarão a esse fato. O character design é algo que admiro bastante nos mangás de Urasawa, pois dão à obra um ar mais maduro. Além disso, os cenários são ricos em detalhes.

O mangá também é marcado por inúmeras referências ao rock - inclusive, o próprio nome da obra é em referência a música "20th Century Boys" da banda T. Rex - e também faz referências a vários mangás das décadas de 60 e 70.

Para amantes de suspense e ficção científica, 20th Century Boys é uma ótima escolha. Naoki nos leva a um mundo onde uma simples brincadeira de criança torna-se um perigo para a humanidade. Há muito mistério sobre a identidade do "Amigo", sobre a verdadeira intenção dele, e sobre o passado dos garotos do século vinte. Além disso, veremos como a palavra de um líder com o rosto coberto por uma máscara consegue alienar e manipular uma incrível massa da população, sem esquecer que ainda nos depararemos com uma série de mortes misteriosas - algumas envolvendo até lideres religiosos -. A história de 20thCB não termina no volume 22. Para saber a resolução dos últimos mistérios é preciso ler 21st Century Boys, uma continuação com 16 capítulos segmentados em 2 volumes.

Nota: 10/10
Até a próxima!
キス

4 comentários:

  1. OI OI SMOAK!!

    MANO JUST DANCE HUEUEHHEUHUE. Eu achava que era a única que fazia essas coisas de pegar o vídeo do Youtube e dançar mas pelo jeito eu estava enganada -q. Ás vezes minhas amigas querem "jogar" então a gente dança (mesmo eu sendo uma batata viva mas tudo bem a gente releva). É tão engraçado jogar just dance, sério pra mim chega a ser estranho -qq PREFIRO JOGOS NORMAIS MESMO. SEDENTARISMO É MEU SEGUNDO NOME!

    Sobre o mangá: LADY SMOAK SEMPRE TRAZENDO COISAS DIFERENTES (adoro). Cara só acho que você gosta muito de mistério! A maioria dos animes que tu assiste e mangás sempre tem alguma coisa de suspense, drama e coisas desse tipo. Eu também gosto, acho bem daora... e ainda tem AQUELAS belas teorias da vida que só me confundem cada vez mais, porém é legal -q

    EITA O SÍMBOLO DA SEITA É O MESMO DOS ANOS ATRÁS EEEEEEITA!! Tô sentindo uma treta maligna nessa bagaça~
    "Kenji começou a se interessar por rock depois de ouvir a música "Jumpin' Jack Flash" da banda The Rolling Stones", ACHEI COMPLETAMENTE DIGNO, PARABÉNS TIOZINHO!

    SE A NOTA DA LADY SMOAK É 10/10 OPA, LÁ VAMOS NÓS LER ESSE MANGÁ MAROTO!
    godibai.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Alone! \o/

      HUASHUASHUASHU, você também faz isso? É aquele ditado: não tem cão, caça com gato, huehuehu. Eu baixei o jogo para celular, e confesso, estou viciada. Finalmente encontrei uma forma de deixar o sedentarismo de uma maneira divertida. xD

      Mistério é meu segundo nome, MUAHAHAHA. E pra quem curte o gênero, assim como eu, esse mangá é um prato cheio. Como diria Hina-chan, muita "mutreta" ocorre nessa história. xD
      A gente já simpatiza com o Keiji por ele gostar de rock, huashuashu. \m/

      Enfim, 20th Century Boys entrou para a lista de mangás favoritos.

      Beijos!

      Excluir
  2. Oiee, Lady Smoak! o/

    Essa ideia de se exercitar com Just Dance é ótima, eu mesma já fiz isso algumas vezes (com vídeos também, pois né, pobre demais pra ter um console hauahuah). Eu lembro que a primeira vez que fiz isso, que foi na verdade com um vídeo tipo de zumba (mas era uma outra dança lá) eu fiquei bem ofegante na terceira música HUAHAUHA Mas depois de uns dias consegui avançar. Só que agora faz tanto tempo que não pratico que devo estar bem sedentária de novo :')
    Eu nem sabia dessa do smartphone, depois vou dar uma olhada.

    Sobre 20th Century Boys, eu sempre ouvi falar super bem, até porque é bem antiguinho, mas acabei nunca lendo. Eu adorei a sinopse, não preciso nem comentar de novo o quanto gosto dessas histórias que envolvem bastante mistério e reviravoltas. É um mangá que eu tenho certeza que iria amar e nem sei porque não li até hoje asuhuahaushua E as referências ao rock, adoro! <3

    Aliás, olha esse traço, né. É muito adulto, como diria a Peppa. Sensacional!

    Beijos! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Helo! \o/

      Bom saber que não sou só eu que faz isso, huashuash. Quem não tem console, improvisa, né?! Haha. No início eu ficava bem ofegante já na primeira música, agora eu consigo dançar umas 3 seguidas tranquilamente. Fico cansada, mas não da forma que eu fiquei da primeira vez, hueheu. E adorei ter conhecido o jogo para celular, acho que futuramente falarei dele aqui no blog.

      20thCB é recheado de mistério e reviravoltas, sem esquecer as inúmeras referências que faz. O mangá entrou para os favoritos! ♥

      "É muito adulto" Huashuashuas

      Beijos! ♥

      Excluir