Vamos falar sobre Psycho-Pass!


Se você está procurando um anime que aborda o gênero policial, psicológico e distópico, Psycho-Pass vai atender bem a sua necessidade. Esse anime me prendeu a atenção do início ao fim.

Tudo se passa em um futuro onde a ordem é mantida pelo Sistema Sybil. Esse sistema julga as pessoas baseando-se em seu estado mental. Através do julgamento do Sybil é possível classificar um indivíduo em um cidadão normal ou um criminoso latente, com base na taxa do Coeficiente Criminal que aquele indivíduo apresentar. Desse modo, independentemente se o sujeito praticou ou não algum crime, se o índice de seu coeficiente criminal for elevado, o mesmo é encaminhado a uma clínica na qual passa por uma espécie de terapia para a sua recuperação. Porém, mesmo assim, alguns são tidos como irrecuperáveis e nisso são condenados à prisão ou sentenciados à morte, mesmo não tendo cometido crime algum.

Dominator
Para conter os criminosos latentes, são utilizadas armas chamadas de Dominator. Essas armas, conectadas ao Sistema Sybil, leem a taxa do coeficiente criminal do indivíduo e de acordo com o julgamento, operam dois modos de execução. Aqueles que possuem coeficiente acima de 100 pontos e abaixo de 300, a arma muda para o modo Paralyzer, onde disparará apenas um paralisante no alvo. Quando o coeficiente ultrapassa 300 pontos, o Dominator muda para o modo Lethal Eliminator, onde a intenção é destruir o alvo literalmente. Coeficiente criminal abaixo de 100 pontos, o Dominator permanece travado. 


A história começa com a transferência de Tsunemori Akane para a Divisão de Segurança Pública. Nobuchika Ginoza é um inspetor da Unidade 1 da Divisão da qual Akane agora integra. Na unidade, trabalham juntos para combater os crimes que assolam a sociedade, os inspetores e os chamados executores. Os executores são criminosos latentes considerados irrecuperáveis e que ganham uma "liberdade" limitada ao torna-se subordinado dos detetives, com o simples objetivo de eliminar criminosos latentes iguais a eles. Alguns devem estar se perguntando o porquê de fazer uso de criminosos latentes para combater criminosos latentes. A resposta é simples. O Psycho-Pass, que mede a taxa de coeficiente criminal do indivíduo, é suscetível a alteração de acordo com o aumento de estresse no sujeito. Logo, quanto maior o estresse sofrido, a cor da matiz do psycho-pass sofre alteração e quanto mais sujo ficar o psycho-pass, maior será a chance do indivíduo se tornar um criminoso latente. Então, executores servem para fazer o "trabalho sujo", enquanto que a saúde mental dos inspetores é preservada. 

Um pouco sobre os personagens

O Nobuchika Ginoza, um dos inspetores, é um personagem de olhar frio e que acredita plenamente no julgamento do Sistema Sybil. Ele é bem rígido em relação ao seu trabalho e trata os executores como verdadeiros cães de caça.
Tsunemori Akane, inspetora novata, dona de uns dos Psycho-Pass mais limpos - praticamente incorruptível - é aquela personagem idealista e que não acredita que um indivíduo seja irrecuperável. No primeiro instante, ao vê-la, a ideia que se tem é que ela será aquela personagem que não tem muito a oferecer, mas ao avançar dos episódios percebe-se que ela tem um grande potencial a ser revelado. Ela foi a personagem que mais se desenvolveu durante todo o anime.

Shinya Kougami é o executor de maior destaque na trama. Meio misterioso, se mostra altamente competente no trabalho que exerce. Bem perspicaz, ele tem uma habilidade incrível para resolver casos. Ao meu ver, é o melhor detetive entre todos apresentados.





Shougo Makishima é o vilão e um dos personagens mais bem construídos do anime. Cruel e apaixonado pelos piores aspectos da natureza humana, é um intelectual carismático que faz uso da literatura, buscando sempre citar autores reconhecidos para explicar suas ações.


Obs: Acima eu falei dos dois inspetores e apenas de um executor, o que mais se destaca. No entanto, o time das forças especiais que integram a Unidade 1 da Divisão de Segurança são os dois inspetores (já citados) e 5 executores.

Em Psycho-Pass aparecem citações de diversos autores, desde Shakespeare à Max Weber, sejam elas pronuncias pelo próprio Shougo, ou por outros personagens.

Citação de uma das tragédias de Shakespeare, Titus Andronicus (Tito Andrónico).
É bem interessante a forma como o Shougo é retratado. Ele não é aquele vilão que trabalha em conjunto com outros ou aquele que dá as ordens a seus subordinados. Ele age sozinho, persuadindo as pessoas a fazerem o que elas querem e que logo são sacrificadas quando tornam-se inúteis para o objetivo de Shougo. Ao mesmo tempo, ele não é aquele que apenas manipula e assiste de longe, e sim aquele que, quando a situação pede, age com suas próprias mãos. 


O anime contém cenas bem perturbadoras, então se você não é acostumado com séries desse tipo, talvez esse não seja um anime ideal. O enredo de Psycho-Pass é bem inteligente e ficou com o roteiro nas mãos de Gen Urobuchi (o mesmo de Mahou Shoujo Madoka Magica). A lógica investigativa é bem trabalhada e tanto a trilha sonora, o character design e a animação, são muito boas. A cada episódio cria-se expectativa já para o próximo, tentando imaginar que resolução aquilo irá ter. 


Certas cenas em Psycho-Pass são bem intrigantes e que nos permite fazer alguns questionamentos. O Sistema Sybil é realmente eficaz? Será que é possível confiar tanto assim nas máquinas? O Sybil não julga apenas os cidadãos em criminosos latentes e "pessoas de bem". Ele te mostra qual profissão você pode ou não ter, qual o caminho que você terá maior probabilidade de sucesso, entre outras coisas que demonstra o seu controle sobre a sociedade. E os cidadãos aceitam um sistema que nem eles próprios conhecem verdadeiramente. Sybil parece beneficiar uma parte da população, enquanto outra é totalmente exclusa. Aqueles que são classificados como "pessoas de bem", são realmente boas pessoas? Pois alguns parecem máquinas, cujo qual os sentimentos que os tornam humanos foram extraídos em prol de uma sociedade utópica. Esse sistema que julga os indivíduos com base em seu estado mental não parece muito ideal, pois estresse não está exatamente relacionado apenas à coisas ruins. E outra, até vítimas de traumas são repreendidas por esse sistema. Então como julgar um indivíduo em "bom" ou "mau" com base nisso? 


Psycho-Pass abre as portas para vários aspectos reflexivos. Por exemplo, e se em um futuro distante, tivéssemos tecnologia suficiente para descobrir potenciais criminosos antes de os mesmos cometerem um delito? Seria mesmo correto eliminá-los mesmo com a possibilidade deles nunca cometerem um crime? 

Então é isso, pessoal! Quem gosta de animes do gênero (Policial, Psicológico, Sci-Fi), é uma ótima escolha. 

Nota: 10/10

Até a próxima! 
キス

2 comentários:

  1. Eu ouvi Psycho pass!? SENHOR SEGURA ESSES FORNINHOS QUE O SURTO VAI SER GRANDE <3

    Okss, cara psycho pass me pegou de jeito! Bastou o primeiro episódio para eu ficar xonada nessas conspirações de sistemas e para eu me encantar com a sedução do Kogami e com as lacrações da Akane!

    Começando pela Akane.... QUE DESENVOLVIMENTO INCRÍVEL FOI AQUELE!? Ela começa como uma novata, mas aos poucos vai pegando o pique da coisa! Porém, o bacana dela é que mesmo sendo novata ela não era completamente ingênua, ela tinha uma visão do Japão e do sistema deles que nenhum outro personagem tinha. É como se ela conseguisse ver além do que os outros viam. Pois, mesmo não concordando completamente com Sybil, para aquele momento era o melhor que os japoneses tinham. Mas, ela também sabia que mais cedo ou mais tarde, o povo não precisaria mais do sistema e iriam buscar por mudanças. Enfim, ela lacrou muito e largava tudo na cara dura mesmo! Ela era aquele tipo de personagem idealista fodão, sem fazer mimimis ou ficar de choro. Na boa, eu virei mó fã da Akane, uma das minhas personagens femininas favoritas (junto com a Nanami de Kamisama Hajimemashita <3)

    E ESSA LINDEZA DO KOGAMI!? SENHOR, ELE CONSEGUIU FICAR MAIS LINDÃO AINDA NO FILME COM AQUELE ROUPINHA MILITAR <3 hsaushuashua Adorei o jeitão dele de "lobo solitário", mas que no final das contas sempre se preocupou com os companheiros. E no filme foi bacanudo ver que ele estava mais "relax", sem aquela obsessão em perseguir o Makishima (afinal, o cara já tava mortinho mesmo :v). Mas, sei lá, senti ele mais tranquilo no filme, como se um peso tivesse saído das costas dele, o que foi extremamente bacanudo.

    Eu só acho que faltou uma PEGAÇÃO ENTRE O KOGAMI E A AKANE! PÔ, o que custava aquelas criaturas se pegarem!?

    Na boa, depois daquela cena em que o Makishima deu uma paulada na velha robótica nojenta (a chefe da turminha da Akane), EU VIREI MÓ FÃ DELE! Porque que velha falsa nojenta!

    Eu espero que eles façam uma terceira temporada. Aliás, ouvi boatos que um dos envolvidos na série Psycho Pass, postou no twitter para os fãs esperarem mais um pouquinho por Psycho Pass, ou seja, dá para rolar uma esperança de alguma temporada ou outro filme *-*

    Enfim, vou ficando por aqui

    Kiss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu já viciei em Psycho-Pass no primeiro episódio. Assim que terminava um já ficava ansiosa pelo próximo.

      Nem me fala, me encantei logo de primeira pelo Kougami ♥.♥

      Sim, Akane foi a personagem que mais se desenvolveu em todo o anime e de uma forma incrível.

      Apesar de tudo o que o Makishima fez, eu meio que simpatizava com ele. E depois do que ele fez com a Kasei róbotica, subiu no meu conceito, haha.

      Quero uma terceira temporada de Psycho-Pass!

      Até! *-*

      Excluir